Chillimercado360

A partir de hoje inauguramos a sessão Chillimercado360. Nessas publicações traremos projetos desenvolvidos por nós, acompanhados de comentários e  entrevistas com nossos clientes.

A coluna será publicada preferencialmente às quintas-feiras, já que na terça falaremos de comunicação e suas vertentes.

Então, para começar, abriremos a coluna com a própria Chilli. Como todos já sabem, uma agência de design e comunicação estratégica estabelecida em Araraquara, interior de São Paulo, com atuação nos mercados regionais, grande São Paulo e litoral Paulista.

Segundo o diretor de criação e um dos planners da agência, Marcelo “Tchelo” Pereira,a Chilli hoje é uma gestora de soluções (visuais e estratégicas) que ama marcas, desde sua elaboração à sua projeção na mídia e interação com o público. Do branding à publicidade, do digital ao pdv, amamos criar, projetar, interagir e colher resultados satisfatórios.”

Para quem não sabe, a Chilli aqui no Brasil, nasceu com a visão 360º após firmar parceria com a Chilli de Guadalajara, do México (uma “house” de assessoria de imprensa). “Essa parceria se formou em alguns meses após conhecermos (eu e o Tchelo) Mariáh Sanches, diretora e sócia da agência mexicana, no 17ª Festival de Publicidade de Gramado, em 2009. Estávamos em uma fase de reposicionamento e nova identidade, então era momento.”, diz Lucas Napoli, atendimento e sócio da Chilli360. Após 1 ano e meio de parceria, orçamentos, projetos e nada veiculado, anunciaram o fechamento da sede mexicana.

Desde então, vimos que qualidade se sobressaía na quantidade. A valorização de projetos é difícil na região, por isso optamos em buscar novos mercados [São Paulo, Santos, Ribeirão Preto e Rio Preto]. Isso nos rendeu em 3 anos um alicerce forte e estruturado.”, afirma “Tchelo”.

Quando falamos em postura de mercado e clientes, Lucas ressalta “Divido esse assunto em duas partes: Araraquara e outros mercados. Trabalhar em Araraquara com publicidade e comunicação é complicado. A cidade possui inúmeras agências e todas caminham para o mesmo sentido. Não existe valorização na área e os poucos que entendem ainda mostram-se receosos. É um mercado cruel. Quando falamos de outros mercados, não é muito diferente, mas a aceitação profissional e a ousadia se sobressaem.”

A agência que acaba de por na mídia um case para a internet com vídeos da LUPO/Neymar, dando sequência a campanha criada pela agência de São Paulo, G2, traz em seu portfólio projetos para a Força Aérea Brasileira, endomarketing para as Lojas Marisa, entre outros.

E logo mais teremos novidades, “Grandes novidades”, ressalta Tchelo.

Anúncios

Videos teaser que a Chilli criou para Lupo teve mais de 160 mil visualizações em menos de 1 semana

Os mini vídeos criados pela Chilli Comunicação para a Lupo, como teaser da campanha “Neymar agora é meia” focado no mundo digital teve 162 mil visualizações no canal da agência no Vimeo.

Sites como Chic de Gloria Kalil, Isto é Gente, blogs descolados sobre celebridades como Katylene e Papel Pop  além de outros blogs/sites de moda, e esporte do Brasil e outras partes do mundo, veicularam os mini vídeos em pouco mais de uma semana, segundo nosso monitoramento.

Países como Líbia, Sérvia, Sri Lanka, Bosnia, Tchecoslovaquia, Noruega, entre 44 paises da América e Europa listados na busca, também visualizaram e baixaram o mini vídeo conforme imagens abaixo. O total de views foi de 94 países.

Isso só mostra que ao atrelar a marca Lupo ao nome do jogador Neymar, a visibilidade da marca cruzou oceanos como era esperado, mas mostra também que o trabalho a ser realizado pela marca nas redes sociais não deve ser tímido e nem pensar que se limita ao Brasil. Um trabalho de comunicação digital para uma marca como a Lupo, requer trabalho e monitoramento 24 horas, indo muito além de curadoria de conteúdo digital.

Vejam alguns prints:

Este slideshow necessita de JavaScript.

Chilli cria mini-filmes para internet e estratégia de divulgação online para LUPO com Neymar

Todos já sabem do envolvimento do jogador com o maior fabricantes de meias e cuecas do país, a LUPO. Na sexta-feira do dia 05/08, a Chilli participou da gravação do VT que fará parte da campanha “Agora sou meia”, capturando cenas do making off para criação de mini-filmes a serem  lançados na web.

Três mini-filmes foram desenvolvidos para a ação na web até o lançamento do VT. A ação de guerrilha contou com datas específicas para os disparos de conteúdo nas redes sociaismonitoramento das menções e publicações nas redes  de acordo com o planejamento aprovado.

Ficha Técnica

Planejamento Digital:  Marcia Ceschini

Planejamento estratégico e direção: Marcelo Tchelo Pereira

Atendimento: Lucas Napoli

Produtora:  Spline Multimídia

Áudio:  Doctor Áudio

Confiram os vídeos abaixo:



1)

Filme/Internet 1 – LUPO/NEYMAR from chilli360 on Vimeo.

2)

Filme/Internet 2 – LUPO/NEYMAR from chilli360 on Vimeo.

3)

Filme / Internet 3 – LUPO/NEYMAR from chilli360 on Vimeo.

A Importância de se reposicionar e se atualizar como marca

 

Por Tchelo Pereira*

Falar que as mídias sociais estão ganhando espaço é coisa do passado. Geolocalização, páginas corporativas, comunicação fulltime, diários online, busca por referências, novos contatos, network, namoro, enfim, o mundo virtual pode ser considerado um novo território, fazendo parte inerente do nosso cotidiano. Os meios fervilham informações sobre tudo isso, e existem ainda aqueles que não aderiram a esse novo mundo. Há um tempinho,  li no M&M que “essas novas mídias” são um buraco negro na nossa comunicação, que não sabemos um fim, e não podemos confirmar.”

Bom, analisando esses novos meios e as oportunidades e posicionamento de empresas no mercado, eu discordo do comentário que li. Pode ser até que seja febre momentânea, mas pense, o ICQ era febre e evoluímos pro MSN,  evoluímos pra Orkut,  pra twitter, face, foursquare, e não para por ai. Os mais despretensiosos diriam q é evolução tecnológica e blábláblá, eu digo que é evolução econômica. Se os meios mudam a população adere ao novo como se fosse camaleões, com isso, produtos e marcas também se adequam, afinal, ninguém quer perder consumidor, pelo contrário, esses meios geram oportunidades para buscar novos públicos, inclusive o interno, público base para um posicionamento forte. Sendo assim, entro no que venho pra falar: reposicionamento das marcas.

As marcas estão se atualizando de acordo com a necessidade do consumidor. Fato! Reposicionamento? Lógico, e mais que isso, são necessidades estratégicas para não perder o consumidor e a tira-colo tentar ganhar espaços e novos consumidores. Reposicionamento de marca é elaborar estratégias, balancear aspectos emocionais, aqueles que geram necessidade no consumidor, e o racional, que são os objetivos reais, o tangível. Isso é branding.

Reposicionar uma marca, vai além de criar uma nova identidade institucional, um logotipo. Reposicionar uma marca é 100% planejamento, da criação a estratégia, da exposição online a offline. É buscar inspiração e a sensibilidade do consumidor, virtudes dos produtos, objetivos da empresa, é verificar problemas, necessidades, tomar decisões. É unificar tudo em uma linha criativa e implantá-las.

Exemplos claros e recentes de reposicionamento de marcas são muitos: O Boticário, Topper, Starbucks e até mesmo a tão comentada marca da Lupo (que gerou um post a parte), são exemplos de que necessidade de venda e adequação ao público são fatores imprescindíveis.

Ai entra uma questão particular e bairrista. Um problema que sofremos e vale lembrar. Todos falam que o mercado do interior é excelente e rico mercado para ser explorado. Realmente a palavra certa é PARA SER EXPLORADO, tipo os bandeirantes quando chegaram no Brasil: Facão, a força e impondo. O mercado aqui não tem aceitação como todos dizem, o mercado é bairrista, é duro na queda. Empresas grandiosas com pensamento pequeno que acham que o certo é a política que trabalhou há 20 anos atrás, ou, forte influência de um passado recente que não aderiu ao novo. Empresas pequenas que surgem e aceitam o novo, nem sempre possuem o investimento necessário, ou preferem empresas familiares. Ai o que você faz? Vira um camaleão e aceita ser submetido a esse tipo de mercado ou busca um novo mercado que é tão grande quanto suas idéias?

Tchelo Pereira é Diretor de Criação  e Planner na Chilli Comunicação.